Na Torre, uma sala com 9 janelas (Espaço Torreão em Porto Alegre) foi realizada a intervenção DESESCURIDÃO, 2005. Uma pequena escada é o acesso. Penumbra. Todas as paredes, o teto e as venezianas fechadas são um enorme quadro verde, escrito com giz. Muitas caligrafias, várias escrituras. Ali estão transcritas as diversas formas com que o pensamento humano buscou lidar com a ideia da ausência da luz (um não ver, por princípio). Mas se vê. Uma pedagogia às avessas. A única luz  é a de um lustre de metal que está a poucos centímetros do chão. O único foco totalmente discernível é a tabua corrida do piso, é ele que reflete a tênue iluminação para as paredes. Toda a leitura é suposição. Ver Rascunho para teatro ll. Ver Rascunho para teatro II.

1/9