LUZ INCADESCENTE, 2000, é composto de um armário de vidro de estrutura metálica, que traz impresso em sua porta as instruções de uso da obra. Dentro dele, um pequeno frasco de colírio dilatador de pupila e alguns tapa-olhos. Lida as instruções, espera-se que o espectador pingue o colírio em um dos olhos e o proteja com o tapa-olho e depois percorra toda a exposição. Após essa operação – cuja duração é suficiente para o efeito do colírio entrar em ação – a expectativa é de que o visitante destape o olho coberto e cubra o outro. Sob a alteração visual provocada pelo efeito do colírio – extrema sensibilidade à luz – o visitante deve rever a exposição e experimentar o efeito da alteração visual imposta ao seu corpo.

1/5