Resultante de um exercício de intercâmbio entre o Coletivo Irmãos Guimarães e a Cia Teatro Autônomo, dentro da 1ª edição do projeto Rumos Itaú Cultural Teatro, o trabalho PRIMEIRO NOME, 2011, constitui-se do registro de processo deste trabalho desencadeado por um pequeno trecho de Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez. Em um primeiro momento, o texto foi distribuído a cinco performers do grupo que, a partir dele deveriam realizar uma ação. Estas ações resultaram em cinco videoperformances. A seguir, o trabalho dos performers foi relacionado a procedimentos de artistas que tratassem da mesma questão - esquecimento e estabelecimento de versões. Os artistas "convocados" foram: Joseph Kosuth, Francis Alÿs, Sophie Calle, Elida Tessler e Angélica Liddell. O resultado desse entrecruzamento foi a realização de outras cinco videoperformances, em que o performer age como se ocupasse o lugar de seu artista-par. Assim a mostra se forma por um grande painel com fotos, textos e frames que registram o processo; os 10 vídeos em looping e o que restou de um vestido bordado de pedras, um dos vestígios concretos das performances.

1/5