SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO, 2007, é uma comédia romântica e fantasiosa de William Shakespeare. Sua narrativa – uma das três únicas cuja trama fora originalmente inventada por Shakespeare ao invés de apropriada de fontes primárias – apresenta personagens fantásticos associados a personagens reais divididos em quatro núcleos: os mitológicos, os amantes, os encantados e aqueles que Harold Bloom chamou de “mecânicos”, os operários do campo. A noção de personagens reais, na verdade, deve ser ponderada posto que o próprio Shakespeare anuncia no título tratar-se de um sonho. O conflito se dá basicamente a partir de uma trama que envolve ciúmes, fugas, amores proibidos, casamento por conveniência e a tentativa de uma trupe [formada pelos mecânicos!] em montar uma peça para o casamento do Duque. A característica metalingüística da obra também interessa ao Coletivo, que tematiza a linguagem em diversos trabalhos, revelando seus procedimentos e expondo-a em sua condição de construção ficcional. Nesta montagem de Adriano e Fernando Guimarães, o drama é transposto para o universo rural brasileiro, demarcado pelos figurinos estilizados e pela construção dos tipos pelos atores. Há um investimento forte na comicidade do texto e na composição dos personagens como caricatura, que revelam uma tentativa bem sucedida de atualizar o texto elizabetano.

1/6